23/02/2013

MONUMENTO




MONUMENTO
surgiu
entre a calçada
e o meio-fio da lembrança
uma mesinha de livros
baixa, empilhagem exata
na rua, quase na esquina
era toda da cor cinza
composta de agendas antigas
pastas de velhos rascunhos
fascículos perdidos
livros negros raríssimos...
do alto
para um distraído como eu
era a vista aérea da favela
ou hipotética cidade
em madrugada de domingo
a limpeza pública garantia
o devaneio deste monumento
no canto, à esquerda
sob abrigo de caixote
guardei este novo poema

"Enquanto o tambor não Chama" Sergio Ballouk