28/04/2011

ENTRE CHEIROS - PARTE 2




enquanto o tambor não chama...
encontrem-me entre cheiros
esfregando arruda entre os dedos
mascando alecrim
colhendo pariparoba
e flores de jasmim

(continua...)

26/04/2011

Liah Jonnes - Olha, mas não põe a mão (Mário Figueiredo) - Samba Rock




ENQUANTO O TAMBOR NÃO CHAMA
Enquanto o tambor não chama
estou em outro lugar
no rodopio de mãos trançadas
corpos treinados, pés floriados
peripécia de samba rock na alma...

08/04/2011

ENQUANTO O TAMBOR NÃO CHAMA

Enquanto o tambor não chama, este é o título do meu primeiro livro de poemas, que será publicado dia 17/05 na Casa das Rosas, projeto realizado pelo ProAC 08/2010. Está sendo feito com carinho, capricho, um pouco de dengo... E um tantão "assim" de ansiedade, gastura.(tô ficando é aperriado, isso sim!!) Mas enquanto ele não chama...
Simbora!




NEGRO ABUSADO
corre pela clareira, aldeia, capão e vargem
negro abusado de sapato e carta nas mãos
corre gritando, anunciando que é:
o corte do machado
o grito da cachoeira
o terror negro encarnado
palmarino cansado de engolir saliva
e em cada toque
dezenas se deslocam pra fazer correria
correm pelas escadarias, ruas e avenidas
negros fortalecidos, vestidos e com livros nas mãos
correm gritando, anunciando o que querem:
escolas, dentistas, seguro de vida
assistência médica, casa e comida
e é para ontem
e já não é mais sonho
o corte do machado
o grito da cachoeira
o terror negro encarnado
palmarino que engoliu saliva
agora cospe e diz que tá com raiva
do espera um minutinho, do tudo passa
se não passa é assim mesmo, só um cadinho
cuidado: palmarino zangado passa por cima
e arregaça palavras do caminho